Porto de Laguna agora é de Santa Catarina novamente

Porto de Laguna agora é de Santa Catarina novamente

O governador também liberou R$ 1,9 milhão para saneamento básico na Cidade Juliana em ato nesta quinta-feira (19)

Visivelmente emocionado, o deputado Felipe Estevão (PSL) participou da solenidade para a assinatura da minuta do convênio de delegação da estrutura portuária ao governo do Estado. Finalmente, assinalou ele, depois de 44 anos, a estrutura volta a ser administrada por Santa Catarina. Em 1975, o terminal foi federalizado e vinha sendo gerido pela Companhia Docas de São Paulo (Codesp), que tem sede em Santos, a 800 quilômetros de Laguna.

“Fico até emocionado. Pois desde criança que ouvia histórias maravilhosas. Sobre o passado do porto. Agradeço a sensibilidade do governador, do diretor da SC Par, Gustavo Salvador, dos demais deputados e autoridades. Hoje é dia de comemorar e projetar um futuro melhor,” declarou ele.

A minuta foi assinada pelo governador Carlos Moisés da Silva, que fez questão de ressaltar sua ligação com a histórica cidade catarinense.

“Minha única residência fixa hoje é em Laguna. Estou muito satisfeito em poder dar esta alegria ao povo daqui. Demos o primeiro passo para alavancar o crescimento do terminal,” salientou o governador

Comércio
O Porto de Laguna, que responde por 9% da comercialização de pescado de Santa Catarina, agora é estadual. Esta é uma oportunidade de conquista de novos mercados e de um novo momento para a economia da região Sul do Estado. A movimentação estimada é de 2.500 toneladas de pescado ao mês, gerando aproximadamente 200 empregos na região.

Com a nova gestão da SCPar, o Terminal Pesqueiro de Laguna será reestruturado, modernizando as instalações. O objetivo é alavancar as atividades pesqueiras na região, priorizando a eficiência dos serviços prestados e a sustentabilidade do empreendimento.

Tratamento de esgoto
O governador Carlos Moisés da Silva, ainda em Laguna, liberou investimentos de R$ 1,9 milhão para solucionar a questão da falta de tratamento de esgoto na Cidade Juliana, que sofreu muito na última temporada de verão pela falta de estrutura neste setor. Os recursos serão administrados pela Casan, que fará as obras de implantação de um emissário terrestre de esgoto sanitário.